Dentro do Plano de Enquadramento de Acção para a adaptação do Território SUDOE à Alteração climática, e uma vez elaborado o inventário de todos os recursos dos projectos a capitalizar, no projecto ADAPTACLIMA II está previsto o desenvolvimento de quatro projectos‑piloto partilhados e perfilados no comité técnico do projecto para aproveitar a experiencia e a competência dos sócios desde uma perspectiva mais transversal. Cada um dos projectos-piloto é liderado por um dos sócios responsáveis pela sua execução e pela organização da cooperação entre os sócios.

Mapa Andalucía Distribución de las temperaturas máximas. Modelo CNCM3Visor cartográfico de mudanças paisagísticas devidas à alteração climática.

A Junta de Andaluzia realizará este visor multi-temporal de mudanças paisagísticas relacionadas com a alteração climática. Esta aplicação incorporará dados das distintas variantes das regiões participantes no ADAPTACLIMA II, incluindo fotografias actuais de zonas emblemáticas juntamente com outros instrumentos de visualização dos efeitos e das transformações climáticas. Trabalhar-se-á na construção de tipos paisagísticos elaborados sobre diferentes variáveis como: clima, mudança na vegetação, mudança na utilização do solo,  mudanças nas unidades fisionómicas, entre outras.

Trata-se de difundir entre os cidadãos as mudanças provocadas por este fenómeno de uma forma muito visual, obtendo uma imagem actual do clima e das suas possibilidades, bem como da distribuição da migração e intercâmbio global de paisagens.

Parque Natural de las Marismas de SantoñaLaboratório para a implementação de medidas de adaptação à alteração climática nos Espaços Naturais Protegidos da Cantábria.

Esta iniciativa da Mancomunidade de Municípios Sustentáveis da Cantábria (MMS) consiste na implementação de medidas, boa parte delas derivadas dos trabalhos do projecto ADAPTACLIMA, para a adaptação à alteração climática nos espaços Naturais Protegidos da região da Cantábria.

O laboratório abrange acções em todos os sectores de interesse:

  • Agricultura. Adaptação na escolha das culturas e das épocas de plantio nas novas condições climáticas; Programa para o controlo do estado dos recursos hídricos subterrâneos (aquíferos) e estudo de captação.
  • Pesca. Implantação de sistemas de gestão integrada nas associações de pescadores.
  • Florestal: Plano de substituição progressiva do repovoamento de eucaliptos por outras espécies alternativas menos exigentes em consumo de água, Plano de aproveitamento energético dos resíduos florestais (Biomassa), e Plano de utilização de micro-reservas florestais para a protecção das massas de faias e amieiros.
  • Meio natural. Programa de vigilância e controlo de espécies alóctones invasoras.
  • Costas. Implantação de sistemas de gestão integrada nas praias; reordenação de usos na zona costeira, considerando as alterações do meio devidas às alterações climáticas.
  • Turismo. Desenvolvimento e implementação de um modelo de planificação do sector turístico adaptado às mudanças.
  • Pegadas de carbono, aplicação aos sectores agrícola, criador de gado, da pesca e turístico.

Também se levarão a cabo diversas acções de promoção e informação sectorial como a promoção da utilização sustentável do solo de elevado rendimento agrícola utilizando a zonagem agro-ecológica; a promoção do banco de terras para usos agro-ecológicos; o fomento de boas práticas na actividade da pesca e a contribuição para a conservação de habitats terrestres que rodeiam os ecossistemas aquáticos; promoção do voluntariado meio ambiental e o conceito de custódia do território; o fomento da actividade florestal para a prevenção e a luta contra incêndios; e o fomento das boas práticas na actividade turística (água, resíduos e energia).

Plan Andaluz de Acción por el ClimaAplicação à escala regional da metodologia elaborada no ADAPTACLIMA na região Andaluzia.

O sócio Junta de Andaluzia trabalha com a finalidade de utilizar o território da Andaluzia para avaliar sopesar e integrar as problemáticas e critérios de vários campos que se juntam   e se apresentam no ADAPTACLIMA, confrontados com os resultados obtidos noutros projectos com respeito às alterações climáticas por sectores e abordar uma solução realista e de conjunto.

Para isso elaborar-se-ão as variantes de alteração climática à escala local actualizada ao IPCC IV, aproveitando os programas, métodos e processos desenhados no ADAPTACLIMA. Também se desenvolverão matrizes de Impacto de Alterações climáticas em toda a Andaluzia e buscar-se-ão sinergias com experiências de outros projectos como PyroSUDOE, SUD’EAU,…

Carte Thermique 19900820 BordeauxOptimização do conforto término mediante a utilização de recursos renováveis

A Associação Climatológica da Moyenne‐Garonne e do Sud‐ Ouest (ACMG) desenvolverá esta acção consistindo na realização de um diagnóstico térmico durante a época estival numa série de cidades ou áreas urbanas do SUDOE a fim de optimizar de forma sustentável o conforto das zonas residenciais e de trabalho mediante a utilização de água para a climatização passiva dos espaços públicos e das zonas urbanizadas.

A dita acção será levada a cabo em estreita colaboração com os agricultores dos arredores, que seriam os usuários dos recursos hídricos utilizados. Este projecto baseia-se nos resultados das observações de teledetecção térmica das aldeias e cidades no âmbito do projecto TELERIEG, que revelou que o conforto térmico é proporcional à proximidade de campos de regadio.

O desenvolvimento do projecto permitirá, mesmo assim, melhorar os vínculos entre as zonas urbanas e rurais para o desenvolvimento de sinergias com o fim de criar uma adaptação mais sustentável. Os resultados dos projectos relacionados com o sector da água também serão incluídos.